Um blogue sobre Ensino de Física
« Uma idéia de negócios gratuita... você só entra com a grana :-)Uma viagem ao Brasil profundo... »

Wikipedia e a Educação na Era da Informação

  27.02.2007 06:32, por Sergio F. de Lima, Categorias: Ensino, reflexão, Colaboração, Educação, Web2.0

Vire e mexe, há sempre um soluço ponderando uma WEB que não é mais só leitura, mas escrita e leitura (Novas características novo versionamento: WEB 2.0, simples assim!)...

E, como era de se esperar, estes questionamentos sobre o poder das multidões recai sobre todas os setores da sociedade, não seria diferente com a Educação!

Matéria do jornalista Antonio Luiz Monteiro Coelho da Costa na excelente Carta Capital faz uma crítica à qualidade das pesquisas escolares que se baseiam na Wikipedia. Critica duramente o modo de funcionamento da mesma e acaba defendendo à volta da produção de conhecimento como era na Era Industrial: Produção por poucos iluminados em detrimento de muitos!

Bom, este foi o meus resumo, não deixe de ler a matéria completa para fazer seu juízo de valor!

Obviamente que algumas das críticas levantadas são pertinentes, embora eu discorde completamente das conclusões e/ou soluções propostas (implicita ou explicitamente) pelo jornalista.

Entretanto, nem precisei me dar ao trabalho de escrever uma crítica construtiva a matéria! O Rafael Evangelista o fez, e muito bem!

Neste artigo, ele cita outras referências de leituras, argumenta sobre as "referências" utilizadas pelo jornalista para fazer afirmações generalistas sobre a qualidade das pesquisas escolares e mostra um pouco sobre como funciona a Wikipedia.

Enfim, um artigo que é leitura obrigatória, não só para educadores, mas sobretudo, para aqueles que "ainda" acreditam que a WEB 2.0 é só uma buzzword!

Do Edgy Eft

11 comentários

Comentário de: Alexandre Fugita [Visitante]  
Alexandre Fugita

O artigo da Carta Capital é interessante mas nivela por baixo todo os usuários da Wikipédia. Já contribuí com artigos completos e alterações pontuais às versões em português e inglês. Certamente tenho menos credibilidade do que um PhD, MD ou qualquer outro título. Mas creio que a interação entre as pessoas gera aquilo que chamamos de sabedoria das multidões…

Confio bastante na Wikipédia e uma coisa é verdade no texto da revista: certa vez fiquei discutindo por uns 3 dias um conceito até todos concordarem que estava correto. Mas acho que o resultado final foi ótimo.

Qto aos alunos, acho que os professores (ou instituições de ensino) deveriam adotar uma postura contra cópia descarada de material sem processamento mental. Isso equivale a não fazer trabalho algum. Estimular o aprender a achar informação, digerí-la e criar uma nova é o que falta nas escolas.

Falou aí!

27.02.2007 @ 10:54
Comentário de: Sergio F. de Lima [Membro]  

Olá Alexandre!

Rapaz! Você bem que pode ser professor :-)

Assino em baixo no que você disse!

[]’s

27.02.2007 @ 13:19
Comentário de: Mitchel [Visitante]
Mitchel

Olha, essa mesma discussão tava rolando na lista Jornalistas da Web (http://tech.groups.yahoo.com/group/jornalistasdaweb), e na ocasião alguém disse algo que eu considerei simplesmente fantástico, a respeito da afirmação de um participante da lista, que havia dito “Como disse um professor com nível de pós-doutorado, ‘Citar a Wikipedia nos trabalhos realizados na universidade é motivo de vergonha. É a facilidade do encontro da informação, independente de minimamente correta’": “Vergonha deveria ser encontrar verbetes errados e não corrigir". hahahaha :P

A verdade é que esse artigo da Carta Capital é generalista, superficial e de um cunho bastante elitista (quase que pensei que fosse da veja! hehehe). Pela própria estrutura da wikipédia, pode até haver brechas para que sejam escritos artigos mal-feitos e incorretos, mas, da mesma forma, essa estrutura também permite que erros sejam corrigidos de forma muito mais rápida e eficiente que em qualquer outro meio, pois, enquanto há alguém que escreve algo inadequado, há outros milhões para corrigir.

A questão da cópia não tem NADA A VER com o wiki ou a internet em si (ou por acaso só porque está em um livro é incompíável?? :P), ao contrário, ela até facilitou a identificação das cópias, pois, se o aluno pode ir no google e copiar um trabalho inteiro, o professor também pode ir lá e verificar se aquele texto foi copiado ou não.

A verdade é que, se não houver um trabalho pedagógico para que o aluno aprenda a pesquisar ao invés de simplesmente copiar, ele copiará do mesmo jeito, de sites ou de livros.

E viva a internet, o google, a wikipédia,a descentralização da informação e visões de mundo que vão muito além da vã filosofia de certos “dôtores"! :P

27.02.2007 @ 20:53
Comentário de: Sergio F. de Lima [Membro]  

Olá Mitchel!

Você foi direto ao ponto. Há dois problemas: Educar na Era da Informação é desenvolver nos alunos a competência de gerenciar as informações que são abundantes e transformá-las em conhecimento. A cópia (da wikipedia ou da Barsa) são coisas absolutamente ruins e tornam o aluno um cidadão obsoleto!

A segunda coisa, e gereneralizar que se h’alguns verbetes ruins (e há também em enciclopédias tradicionais!) então deve-se concluir que a Wikipedia é ruim!

Como você disse, a “moderação das multidões” faz toda a diferença!

[]’s

28.02.2007 @ 02:11
Comentário de: Sergio Clemente [Visitante]  
Sergio Clemente

Conheco a muito tempo a wikipédia, nunca gostei de usar.

Agora uso sempre.

Uma boa fonte, mas não a única.

FALOW !

28.02.2007 @ 06:18
Comentário de: Sergio F. Lima [Visitante]  
Sergio F. Lima

Olá Xará!

Sem dúvida, é boa política cruzar informações para checar as interseções e o nível de confiabilidade!

Há erros tanto na Wikipedia quanto em enciclopédias tradicinais! O diferencial é a rapidez e intensidade com que estas informações são moeradas/depuradas!

Falow

28.02.2007 @ 06:57
Comentário de: Mitchel [Visitante]
Mitchel

Isso aí que o outro sérgio falou concordo plenamente: uma boa fonte, mas, como qualquer outra, não deve ser a ÚNICA! ;D

28.02.2007 @ 07:08
Comentário de: Sergio F. de Lima [Membro]  

Olá Mitchel!

O desejável é usar o máximo de fontes! Mas as vezes a Wikipedia será a única (fatos ou conceitos muit contemporâneos!), ainda sim, deve ser citada como referência e nunca como verdade absoluta!

[]’s

28.02.2007 @ 07:12
Comentário de: Luiz Gustavo [Visitante]  
Luiz Gustavo

Apesar da conceituação e da proposição do ideal do Wikipédia, o simples fato da modificação ser instantânea, demonstra a instabilidade da informação contida ali. Há uma discussão acadêmica ligada justamente ao papel da bibliografia em um trabalho científico ou monografia.
Via de regra, a importância da citação é a possibilidade de se buscar a mesma fonte, ou seja, a repetibilidade da informação. Quando esta mesma é mutável, este aspecto prioritário se altera negativamente.
Outro aspecto que também não pesa positivamente quanto à utilização do Wikipédia como fonte bibliográfica é a anonimidade.
Sempre que possível, deve-se supor a utilização de artigos indexados (justamente pela maior fiabilidade e facilidade de obtenção) e livros de autores renomados.

Luiz Gustavo
Piracicaba
http://www.monografiaad.com.br

—–

Opa Luiz Gustavo!

Interessante o seu comentário! Acho que essa “volatilidade” da informação pode ser uma resposta a rapidez com que o conhecimento avança, mas também pode ser um esvaziamento desta informação!

Portanto refutar totalmente ou endeuzer a wikipedia deve ser o último dos caminhos!

abraços

Sérgio F. Lima

6.09.2007 @ 14:49
Comentário de: Michele [Visitante]
Michele

O importante é checar outras fontes e não apenas se basear na wikipedia.

13.10.2008 @ 16:44
Um blogue para uma audiência especí­fica: Professores, não necessariamente de Fí­sica ;-)

Jabá


Global Voices Online - The world is talking. Are you listening?
Firefox
Computador para todos

get openoffice

Grupos do Google
edublogosfera
Visitar este grupo

Busca

  Feeds XML

blogging soft
 

©2014 by Sergio F. de Lima

Contato | Ajuda | Blog template by Asevo | blog soft | cheap webhosting | adsense